Contato:

(71)3321-1713

Notícias

Publicado em 23/12/2020

Nota de repúdio SINCOTELBA repudia atitude assediadora da SE/BA: Sindicato tem recebido denúncias de ameaça e assédio aos funcionários

Mesmo diante da crise sanitária que assola o mundo, a Superintendência Estatual da Bahia não se mostra preocupada com a vida dos trabalhadores. Em muitas unidades da Bahia as péssimas condições do meio ambiente de trabalho é extremamente visível. Até o momento a SE/Ba não tomou nenhuma medida de segurança eficaz e não criou nenhum plano de contingenciamento para proteção das vidas dos seus funcionários. O resultado não podia ser outro: as unidades estão lotadas, com muita aglomeração de pessoas, desrespeitando os Decretos Municipais e Estadual que determinam medidas de proteção e combate ao covid-19. Para piorar as unidades que é detectada com trabalhadores positivos não são fechadas para a desinfecção necessária do local. A SE/BA permite que os funcionários laborem no local sem ao menos saber dos casos positivos. ISSO É UM CRIME!!!
Para a SE/BA a pandemia já acabou. Não existe mais fornecimento de EPIs de combate ao vírus tais como: detergente, papel toalha, álcool em gel 70%, máscaras e até mesmo um simples medidor de temperatura ela nunca forneceu. Os trabalhadores estão entregues à própria sorte.

Ainda, os trabalhadores que fizeram greves ambientais denunciando as péssimas condições de meio ambiente de trabalho e as práticas de desrespeito à vida, estão sendo assediados e perseguidos com transferências sem nenhum critério. 


São tantos problemas que mesmo após notificação do Sincotelba a omissão da SE/BA, continua. A Falta de espaço, climatização, bebedouro, limpeza, móveis ergométrico e excesso de poeira nas unidades tem tirado o sono de todos os trabalhadores. A ausência de segurança nos locais também é outro problema que tem gerado sérias preocupações, pois muitos funcionários têm sido ameaçados e agredidos por clientes, gerando estresse, problemas psicológicos e afastamentos pelo INSS.

 
O sindicato está denunciando via oficio a empresa e também ao Ministério Público do Trabalho essas negligências da Superintendência Estatual da Bahia, pois esses acontecimentos estão virando rotina em todas as unidades no Estado da Bahia.

A luta continua!