Contato:

(71)3321-1713

Notícias

Publicado em 28/04/2020

TRT entende a importância do isolamento social e reafirma a continuidade do teletrabalho


Visando apenas o lucro, a ECT de forma maldosa, tentou a todo custo impor que os funcionários que coabitam com grupo de risco saiam da modalidade teletrabalho. No entanto, o desembargador Grijalbo Fernandes Coutinho, do Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região (TRT-10), em Brasília, negou a liminar em mandado de segurança no qual a ECT buscava suspender o trabalho remoto. (Processo nº 0000310-92.2020.5.10.0004)

O alvo da ECT é suspender o trabalho remoto dos funcionários que coabitam com pessoas inseridas no grupo de risco e dos que possuam filhos em idade escolar ou inferior que necessitem da assistência de um dos pais.  Caso descumpra a ordem estipulada há uma multa diária, por funcionário, no importe de R$ 5.000,00 (cinco mil reais).

Portanto, o Sincotelba orienta aos trabalhadores que estão em trabalho remoto: NÃO retorne ao trabalho presencial e muito menos assine novo requerimento da empresa.

Para mais esclarecimentos os diretores do Sincotelba estão a sua disposição. Os telefones estão disponíveis nos grupos de WhatsApp.